Saiba a diferença entre oxidação, corrosão e ferrugem.

ferrugem oxidação corrosão

Um dos problemas mais comuns sofridos pelas estruturas metálicas é a deterioração do material, especialmente quando não possui pintura para proteção e está exposto a intempéries, ambientes marítimos ou de grande umidade. Nesse processo, existem três níveis de desgaste que são definidos como oxidação, corrosão e ferrugem.

O primeiro deles, a oxidação, pode atingir todos os tipos de metais. Esse é o início do processo de degradação do material e deve receber o devido tratamento, assim que identificado, para não evoluir para uma corrosão. A oxidação de uma superfície metálica se dá, geralmente, quando o substrato está desprotegido – sem pintura ou apresentando riscos ou amassados por impacto –, e tem contato direto com o ar, vapor d’água ou água.

A corrosão é a segunda fase do processo de degradação do metal, a partir da oxidação. Nessa etapa, ocorre um maior desprendimento do metal, que fica cada vez mais exposto aos danos causados pelo contato com a atmosfera. O material começa a mudar de cor e aparecem pontos, manchas e resíduos sobre a superfície. No caso de estruturas pintadas, mas que estejam com a camada protetora danificada por impacto ou risco, a corrosão tende a se espalhar embaixo da tinta e o revestimento começa a estufar, trincar e rachar. Se for um metal ferroso, como aço e ferro fundido, o substrato passa a apresentar ferrugem.

Com a oxidação e a corrosão, os metais ferrosos começam a gerar o hidróxido de ferro, uma camada avermelhada conhecida como ferrugem. Nesses casos, o metal perde sua resistência e, dependendo da amplitude da ferrugem, torna-se inviável a recuperação da estrutura. Mas, é possível resolver o problema quando a ferrugem se concentra nas partes superficiais das peças.

Para proteção das superfícies metálicas, incluindo estruturas para construção civil, tanques de armazenamento e equipamentos, a principal indicação é a pintura. No segmento de tintas industriais, que proporcionam alta resistência e aumento da vida útil dos substratos, a Solventex oferece uma linha completa de produtos. Entre as principais soluções estão:

Primer Epóxi Monocomponente – Elaborado com resina epóxi modificada monocomponente, este primer tem processo de cura ao ar e não utiliza catalisador. É recomendado para pintura de tubulações, estruturas metálicas, equipamentos e instalações industriais, entre outras superfícies. O produto possui grande resistência, maior rendimento, é de fácil aplicação e durabilidade excepcional.

Esmalte Convertedor de Ferrugem – É uma tinta tripla função, que interrompe o processo corrosivo, forma um fundo de proteção e ainda promove acabamento. Esse esmalte transforma a ferrugem em um fundo resistente à corrosão, sem a necessidade de eliminar a oxidação fixada, apenas remover as partículas soltas com escova de aço ou lixa. Essa tinta conta com ótimo rendimento e secagem rápida.

Zincotex Super – Tinta à base de resina epóxi monocomponente, zinco puro, solventes aromáticos e aditivos especiais, que oferece proteção catódica, excelente resistência química e anticorrosiva, com a eficiência de uma galvanização a frio. Aceita receber como acabamento esmaltes acrílico, poliuretano e epóxi. É indicado para superfícies metálicas como tubos, estruturas de ferro e aço, cordões de solda, silos e câmaras frigoríficas, por ser resistente à variação de temperatura.

Comente sobre este post

Não se preocupe, seu endereço de email não será publicado.