SECAGEM

Tempos de secagem e determinações na pintura industrial

Durante o processo de pintura industrial, é fundamental observar o tempo de secagem específico para cada solução utilizada. Ele está relacionado, principalmente, com a espessura da camada aplicada e passa por algumas determinações e etapas, como a secagem ao toque, ao manuseio e, para repintura, quando a superfície poderá receber a próxima demão de tinta.

Seguir as orientações do fabricante e respeitar esse tempo são essenciais para obter o resultado desejado com a pintura, desde um bom acabamento até a preservação do substrato e aumento de sua vida útil.

“A primeira etapa entre as determinações na pintura industrial é a secagem livre da pegajosidade ou secagem ao toque. É o tempo necessário para que a tinta esteja suficientemente seca para não aderir à pele, quando tocada com a ponta do dedo, que deve estar limpo e desengordurado para fazer essa avaliação. Quando estiver seco ao toque, a peça ou o equipamento já pode ser manuseado”, explica José Alves Cintrão Neto, consultor técnico da Solventex.

A próxima etapa é a secagem ao manuseio, tempo necessário para que a estrutura possa ter transportada sem causar danos à pintura. Assim que estiver seco ao toque, é preciso aguardar o tempo recomendado pelo fabricante para evitar problemas e prejuízos.

“Se a estrutura for receber mais de uma camada de tinta, é preciso estar atento à secagem para repintura. É o período necessário entre uma demão e outra, sempre definido como um tempo mínimo, para permitir a aplicação da demão seguinte sem prejudicar a anterior. Existe também um tempo máximo, para evitar que a demão anterior esteja muito seca e dificulte a ancoragem da próxima camada”, complementa Cintrão Neto.

A tinta estará completamente curada, após o tempo de secagem total recomendado pelo fabricante.